11º dia

Sabe, há todo esse esforço cósmico, genético, social Para nos afastar Diariamente, mensalmente, anualmente De tudo aquilo que nós Somos, queremos, amamos E lutar contra isso é Fugir de si e mergulhar dentro de si Simultaneamente A sanidade e a loucura juntas Fazendo as pazes, dando as mãos As peças do xadrez se embaralham Todas... Continuar Lendo →

Escrever e nada mais!

Certa vez um leitor me disse que estava decepcionado com os escritores atuais sobretudo porque, segundo ele, a maioria deles "perdem muito tempo escrevendo sobre si mesmos e não criam novas histórias, crônicas, poemas, contos e novelas de tirar o fôlego" (sic). Eu entendo a crítica dele e respeito a opinião mas, precisamente sobre ela,... Continuar Lendo →

Onde?

Estamos quase tristes. Quase sempre tão felizes,   estamos quase sempre, quase nus, quase sãos, quase sadios.   Estamos quase vivos, quase mortos. Estamos quase todos tortos.   Quase todos satisfeitos. Somos muitos. Somos tantos.   Estamos tão seguros de si mesmos. Estamos enganados. Sozinhos. Estamos quase lá. Onde?

Riflessione

Minha distração tem nome; acho que ando focado demais na indiferença. Sabe? Aquele "time" entre taças e taças de vinho que acompanham todo rei vencedor após as batalhas. Aquela sensação de que tudo já está feito, que nada mais há para fazer. O perigo de uma praia chamada satisfação, onde os tubarões do tédio nadam... Continuar Lendo →

Escreva um blog: WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: