Manchado de verdades

É complicado narrar essa história. Era uma noite triste e eu não dormia há três dias. Andava refletindo sobre minha própria vida e papel desempenhado nela. Após muito matutar, cheguei à conclusão de que, apesar do mundo se atualizar diariamente, talvez algumas coisas estejam destinadas a não mudar. Meus avós, por exemplo, reclamavam da falsidade... Continuar Lendo →

Flagelado Proletário

Trabalho! Por hoje não penso, Apenas trabalho! Produzindo histórias, Escrevendo enredos, Desenvolvendo games, Expandindo neuros, elos, Ocupando minha frágil mente. Trabalho! Por hoje não penso, Apenas trabalho! Subindo e descendo, Ligando e desligando, Apagando e acendendo, Deletando e reescrevendo. Zangado com o destino, Embriagando as memórias. Mergulhado em compromissos, Abrindo mão da trajetória. Trabalho! Por... Continuar Lendo →

piso frio do meu peito

andando descalça no piso frio do meu peito, tiro as roupas, estico-me em frente ao espelho. danço achando que tenho jeito, viro pros lados, estremeço, finjo que não existe mais nada. questiono-me quem sou mesmo que viva apenas o instante, dói não saber dizer nada… se sou pedaços do agora ou do passado, não entendo os... Continuar Lendo →

Meio aliterado

Hoje sinto seus lábios. Cismados, selados, Alados, enrolados, Adoçados e nivelados. De tal modo, Estatelados, acuados, Avermelhados, titilados, Encabulados e aveludados. Num sentimento, Afortunado, obstinado, Predestinado, apaixonado, Acalorado e calcificado. E quem eu sou? Favelado, dissimulado, Bitolado, abestado, Complicado e limitado. Mas mesmo assim, Desconsiderado, empolado, Amarelado, assombrado, Trollado e assolado. Estou aqui, Sou amado.... Continuar Lendo →

Charlie tinha razão

Tão certo quanto a falha, Quanto a amarga falha da previsão do tempo. Tão fracassadas foram as palavras dela, Compactadas num término, sem razão ou sentimentos.   Mas eu conheço a semente que planto, E no coração dela irei semear; Charlie Brown estava certo! Um dia ela vai voltar.   Tão certo que por vezes,... Continuar Lendo →

Antes das seis

Semanalmente me arrasto! E cansado encaro, um novo dia que se inicia. Matinalmente absorvo abobado, nossas trocas de olhares, no lugar do “bom dia". Diariamente espiono seu caminhar (e como não amar?), cheio de beleza e ternura. Momentaneamente disfarço que reparo, mas escondo o fato, de que já gabaritei tua rua. Todo despertar destrói sonhos... Continuar Lendo →

Veraneio Malogro

  Cá estou! Tristonho, suponho. Convicto das dores que colecionei com o tempo, Desfalcado encaro, um cotidiano sem sabor, Pois sem você, é claro, tudo que tenho é efêmero. Cá estou! Tristonho, suponho. Observando as rosas dançando na chuva, Com as mãos calejadas desfaço as lágrimas, Molhadas memórias, amargas entre as unhas. Cá estou! Tristonho,... Continuar Lendo →

Escreva um blog: WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: